HORA CERTA:

NÍVEL DA REPRESA: 66%

TEMPERATURA: 28°C

Idosa suspeita de matar cães para consumo morre pouco mais de um mês após deixar a prisão em João Pinheiro

A mulher foi presa em março suspeita de maus-tratos contra animais em João Pinheiro, no Noroeste de Minas Gerais.

Foto: Arquivo

Miriam Matos Lima, a idosa de 75 anos acusada de maus-tratos de animais e suspeita de matar cachorros para comer em João Pinheiro, morreu na segunda-feira (8) no Hospital Regional Antônio Dias, em Patos de Minas. A morte dele ocorreu 46 dias após deixar o Presídio de João Pinheiro.

Segundo a funerária responsável pelo preparo do corpo, a causa da morte foi traumatismo cranioencefálico (TCE). Ela estava internada no Hospital Regional, mas tempo em que permaneceu internada não foi informado.

Ela foi presa no dia 8 de março e solta em 23 de maio. Durante a prisão, Miriam foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de João Pinheiro após cair da cama. Na ocasião, ela foi atendida, recebeu alta e foi novamente levada para o presídio, com quadro considerado estável.

Relembre

O crime que levou Miriam à prisão foi descoberto após uma foto dela na rodoviária da cidade com a cabeça de um cachorro em uma sacola circular nas redes sociais.

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido pela Polícia Civil na casa da idosa, que foi presa em flagrante. As investigações começaram após denúncia a partir da imagem compartilhada por moradores na internet.

Durante o depoimento, a suspeita preferiu ficar em silêncio.

Durante a operação, foi identificada a situação de maus-tratos a cães, incluindo animais com pulgas, sem alimentos e água e soltos nas ruas.

Ao todo, cinco cães foram resgatados com vida e receberam tratamento. Além disso, foram encontrados sacos com restos e ossadas de cachorros.

Segundo a Polícia Civil, o estado em que a casa se encontrava representava risco à saúde pública, uma vez que a quantidade de lixo e entulhos podiam proliferar pragas e doenças.

Por g1 Triângulo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados