HORA CERTA:

NÍVEL DA REPRESA: 66%

TEMPERATURA: 28°C

Policial rodoviário federal morre ao ser atropelado por carreta na BR-365 em Indianópolis

Ele foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros e pela concessionária EPR Triângulo com dilaceração na perna, mas não resistiu aos ferimentos. A ocorrência foi registrada na tarde desta segunda (3) próximo ao trevo de Indianópolis.

PRF João Vitor de Resende Alvarenga tinha 37 anos — Foto: Redes Sociais/Reprodução

O agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) João Vitor de Resende Alvarenga morreu após uma carreta desgovernada na BR-365 atingir a vítima e uma viatura, que estava às margens da rodovia. O acidente foi registrado na tarde desta segunda-feira (3), no Km 585, próximo ao trevo de Indianópolis.

Conforme a PRF, dois agentes realizavam fiscalização de rotina e o trânsito estava lento no trecho. O policial atingido retornou para a viatura, quando a carreta, que seguia pelo acostamento, o atropelou e bateu na viatura.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o agente teve uma dilaceração em uma das pernas e foi atendido pela ambulância da concessionária EPR Triângulo, que administra a rodovia.

De acordo com a EPR, a vítima foi socorrida e levada para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). No entanto, não resistiu aos ferimentos.

O outro agente teve ferimentos leves e também foi atendido pela equipe de resgate da EPR. A carga de toras de eucaliptos ficou espalhada no acostamento.

A PRF informou que o trecho entre Indianópolis e Romaria está parcialmente interditado, operando em sistema de pare e siga.

A PRF afirmou, ainda, que o motorista da carreta bitrem não foi preso, uma vez que permaneceu no local, mas será ouvido na Delegacia de Polícia Civil de Araguari.

Carreta estava carregada com toras de eucalipto quando atingiu viatura da PRF — Foto: Corpo de Bombeiros/Reprodução

Por g1 Triângulo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados