HORA CERTA:

NÍVEL DA REPRESA: 66%

TEMPERATURA: 28°C

‘Dinheiro esquecido’: saques começam hoje; veja o passo a passo para resgatar valores

Serviço do Banco Central libera acesso para saques nesta terça-feira (7). Há mais de R$ 6 bilhões para serem devolvidos.

Notas de real — Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Os saques de dinheiro esquecido em instituições financeiras começam nesta terça-feira (7), às 10 da manhã, pelo Sistema Valores a Receber (SVR), do Banco Central do Brasil. Ao todo, 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas têm cerca de R$ 6 bilhões a resgatar, segundo o BC.

A página para consulta inicial de valores esquecidos está ativa desde a última terça (28). Se você já confirmou que possui recursos a receber (veja como fazer), atente-se à próxima etapa, que é o pedido de transferência do dinheiro.

Antes do passo a passo, é importante ressaltar que, via sistema do Banco Central, os valores só serão liberados para aqueles que fornecerem uma chave PIX para a devolução.

Caso não tenha uma chave cadastrada, você precisará entrar em contato com a instituição para combinar a forma de recebimento. Outra opção é criar uma chave e retornar ao sistema para fazer a solicitação.

Confira o passo a passo para resgatar seu dinheiro:

1 – Não custa reforçar: a primeira etapa é saber se você tem valores a receber.

Sistema do BC é o único disponibilizado para consulta. — Foto: Reprodução/Banco Central

2 – Após clicar no botão da imagem acima, você será encaminhado para consulta pública.

  • Nessa etapa, é preciso preencher os campos com CPF e data de nascimento.
  • No caso de empresas, a busca é feita pelo CNPJ e data de abertura do negócio.
Primeiro passo é saber se você tem dinheiro a resgatar. — Foto: Reprodução/Banco Central
  • Caso tenha valores a receber, a tela irá indicar o terceiro passo.
  • Em caso contrário, o sistema irá sugerir uma nova consulta em outro momento, após possíveis atualizações de dados encaminhados por instituições ao BC.

3 – Confirmado que há dinheiro a resgatar, você será encaminhado para uma nova página do SVR.

  • De acordo com o BC, esse sistema é semelhante à compra de ingressos.
  • Ou seja, se houver acessos simultâneos acima da capacidade, você ficará em uma sala de espera virtual aguardando sua vez.
BC terá ‘sala de espera’ caso sistema seja sobrecarregado. — Foto: Reprodução/Banco Central

4 – Na sequência, é preciso fazer login com a conta gov.br. Não tem? Saiba criar uma.

Conta gov.br é necessária para resgate de ‘dinheiro esquecido’. — Foto: Reprodução/Banco Central

5 – Nessa etapa, você será encaminhado para o valor a receber, seja pessoa física ou jurídica.

  • Página também leva à consulta de pessoas falecidas.
Quinto passo irá levar à consulta de valores a receber. — Foto: Reprodução/Banco Central

6 – Você precisará aceitar o Termo de Ciência para prosseguir no sistema.

  • É preciso selecionar o quadradinho abaixo e clicar em “confirmar”.
Usuário terá que aceitar o Termo de Ciência. — Foto: Reprodução/Banco Central

7 – A tela seguinte trará as seguintes informações:

  • montante a receber;
  • nome e dados da instituição que deve devolver o valor;
  • origem (tipo) do valor a receber;
  • informações adicionais, quando for o caso.

Nessa página, também será possível acessar os dados e solicitar diretamente a devolução para a instituição financeira.

8 – A última etapa é o pedido de devolução dos valores.

  • Clique no botão “solicitar por aqui” e siga as orientações indicadas.
  • Em seguida, selecione uma das suas chaves PIX e, caso deseje, informe seus dados pessoais.
  • Nesse caso, a instituição devolverá o valor via PIX em até 12 dias úteis após a solicitação.

O botão “solicitar por aqui” só irá aparecer, no entanto, caso a instituição na qual você tem dinheiro esquecido tenha firmado um termo de adesão com o Banco Central.

  • Do contrário, o resgate não será feito diretamente pelo sistema do BC.
  • O sistema irá apenas informar o valor a receber e em qual instituição está aquele recurso.
  • Aparecerá, nesse caso, uma mensagem informando contatos oficiais (e-mail e telefone) para que você entre em contato diretamente com a instituição e combine a forma de devolução.

Por André Catto, g1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados