HORA CERTA:

NÍVEL DA REPRESA: 66%

TEMPERATURA: 28°C

Heineken: fábrica em Passos deve gerar até 11 mil empregos e produzir Amstel

Investimento será de R$1,8 bilhão, segundo a empresa; obras devem ser finalizadas em 2025

Representantes do governo estadual e da Heineken brindaram a escolha em Passos – Foto: Cristiano Machado/ Imprensa MG

A fábrica da Heineken, em Passos, no Sul de Minas Gerais, também vai produzir a cerveja Amstel – rótulo que pertence à empresa holandesa. O anúncio foi feito em evento, nesta quarta-feira (27), que detalhou a operação. A estimativa é que o empreendimento resulte em 350 empregos diretos, além de 11 mil postos de trabalho indiretos na região. 

De acordo com o presidente do grupo Heineken no Brasil, Maurício Giamellaro, a expectativa é de que as obras sejam finalizadas em 2025. O investimento está avaliado em R$1,8 bilhão. “Já estamos correndo para antecipar esse cronograma, para celebrar no máximo em dois anos a nossa cervejaria”, ressaltou.

O presidente também relembrou as propostas recebidas por mais de 200 prefeituras mineiras, após a desistência da instalação da fábrica em Pedro Leopoldo. Projeções iniciais da empresa apontam para uma capacidade produtiva de 5 milhões de hectolitros anualmente. Durante o evento, a empresa assinou um Termo de Compromisso Ambiental com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e o Ministério Público Federal (MPF).

Os detalhes do documento não foram relevados. “A empresa chega tranquila, segura e com segurança jurídica para desenvolver suas atividades sem se preocupar com o MP”, afirmou Jarbas Soares, procurador-geral de Justiça e chefe do MPMG. A preocupação ambiental foi um dos principais pontos de avaliação da empresa durante a escolha da nova cidade, após os problemas enfrentados em Pedro Leopoldo.

O projeto para instalação da fábrica da Heineken na cidade da Grande BH, segundo avaliação de ambientalistas e do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), poderia resultar danos às cavidades do sítio arqueológico de Lapa Verma e à Área de Proteção Ambiental Carste de Lagoa Santa. Segundo o presidente da cervejaria, a opção por deixar Pedro Leopoldo foi em respeito aos envolvidos. 

“Naquele momento precisamos respeitar as decisões de todos esses órgãos e junto com o governo de Minas tomando a decisão corajosa de mudar a cervejaria de lugar. E não porque Pedro Leopoldo não tenha respeito da Heineken, mas porque todos os órgãos envolvidos e consumidores tinham de estar envolvidos”, afirmou Maurício Giamellaro.

Presente na solenidade, o governador Romeu Zema (Novo) fez um brinde com os representantes da cervejaria e com o prefeito de Passos, Diego Oliveira (PSL), para comemorar a manutenção da fábrica da empresa no estado. 

Segundo Zema, a instalação da cervejaria deverá abrir caminho para que outras empresas cheguem à cidade. “Pessoas que hoje não têm renda, passarão a ter e a prefeitura também passa a ter uma fonte adicional de arrecadação. Geralmente onde se tem cervejaria, você tem fornecedores de matéria prima, jardinagem, garrafas, latas, alimentação. É um ciclo virtuoso que permanece”, destacou o governador. 

O prefeito de Passos, Diego Oliveira, informou que o município não mediu esforços e realizou uma contrapartida para atrair o investimento, sem detalhar qual metodologia foi aplicada. “Passos está completando 164 anos em 2022 com o anúncio do maior investimento da nossa história”, afirmou o chefe do executivo municipal. 

Em entrevista a OTempo, o vice-prefeito, Arlindo Nascimento (PSL), estimoua um incremento de receita de até 50%

Motivos 

O vice-presidente de Sustentabilidade e Assuntos Corporativos da Heineken, Mauricio Homem, disse que a escolha por Passos, entre mais de 200 cidades, levou em consideração a localização, disponibilidade hídrica e oportunidade de desenvolvimento socioeconômico.

“A gente tem um ponto equidistante entre Belo Horizonte e São Paulo, e uma região muito próxima de distribuição para o crescimento em Minas Gerais e distribuição no interior de São Paulo. Então, a localização estratégica de Passos foi fundamental para essa escolha”, disse. 

Ainda segundo o vice-presidente, a disponibilidade hídrica na região também pesou a balança favoravelmente. O território de Passos é banhado pelo Ribeirão da Bocaina, afluente do Rio Grande, além de estar a 40 minutos da Usina Hidrelétrica de Furnas.

“Esse foi um dos temas que a gente mais se debruçou para ter a convicção de que a instalação da Heineken seria produtiva também neste sentido. E acho que a bacia do Rio Grande nos abençoa como uma grande possibilidade para que a Heineken esteja aqui sem impacto ambiental significativo”, acrescentou. 

Nesta terça-feira, OTempo adiantou que a fábrica ficará a aproximadamente cinco quilômetros do Centro de Passos, em uma zona hoje rural. Também a cinco quilômetros está a MG-050. Hoje, a rodovia e a estrutura estão separadas por uma estrada de chão, que será asfaltada para facilitar o escoamento da carga. 

Sustentabilidade

Conforme a cervejaria, a fábrica em Passos será abastecida por energia 100% renovável, O modelo vai reforçar a meta de neutralidade de carbono anunciada pela empresa em 2021. Ainda segundo a empresa, serão implantadas tecnologias avançadas para reduzir o consumo de água. Além disso, uma adutora do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) passa próximo ao terreno, o que facilita a chegada do manancial de Furnas à produção de cervejas.

Heineken no Brasil

A Heineken já possui 14 fábricas e 25 Centros de Distribuições no país, com a geração de mais de 13 mil empregos diretos. A empresa fabrica e comercializa as marcas Heineken, Sol, Kaiser, Bavária, Lagonitas, Bavaria Premium, Bavária 0,0%, Xingu, Amstel, Kirin Ichiban, Schin, No Grau, Devassa, Baden Baden, Eisenbahn, Cintra e Glacial.

Fonte: O tempo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados