HORA CERTA:

NÍVEL DA REPRESA: 63,20%

TEMPERATURA: 27°C

Polícia Civil investiga morte de idoso encontrado dentro de casa em situação de maus-tratos em Três Marias

Manoel Sebastião de Almeida, de 69 anos, foi socorrido por uma vizinha na última segunda-feira (5) e morreu no hospital de Três Marias, nessa quarta-feira (7). Mulher disse à polícia que ele morava com o filho e era submetido ‘a condições degradantes, privação de alimentos e risco a saúde’.

Manoel Sebastião de Almeida, de 69 anos, foi socorrido por uma vizinha.

A Polícia Civil vai investigar a morte de um idoso, de 69 anos, que foi encontrado dentro de casa em situação de maus-tratos na zona rural de Três Marias, na região Central de Minas. Manoel Sebastião de Almeida foi socorrido por uma vizinha na última segunda-feira (5) e morreu no hospital de Três Marias, nessa quarta-feira (7).

Consta no boletim de ocorrência, registrado pela Polícia Militar na segunda, que a vítima estava bastante debilitada e em más condições de higiene. A vizinha contou aos policiais que ele morava com o filho e era submetido “a condições degradantes, privação de alimentos e risco a saúde”. A mulher relatou ainda que o filho usava o dinheiro do pai para consumir bebidas alcoólicas e privava o idoso dos cuidados que ele necessitava.

No dia da ocorrência, o filho chegou a ser preso pela PM no hospital e foi conduzido à delegacia de Polícia Civil. Por telefone, o delegado responsável pelo caso, Heitor da Rocha Soares, informou ao g1 que ele foi liberado após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

“Ele foi conduzido até a delegacia, ficou em silêncio e não quis falar nada sobre o caso. O suspeito foi liberado porque a pena para maus-tratos a idoso é muito baixa, de um ano. Agora com a morte, a pena passa a ser de 4 a 12 anos e o TCO será transformado em inquérito. É o mesmo crime, mas agravado pelo óbito”.

O delegado explicou que as investigações da Polícia Civil vão buscar esclarecer se o idoso morreu ou não em decorrência dos maus-tratos.

“Vamos ter acesso ao prontuário médico do hospital e ao atestado de óbito para saber se a morte está ligada aos maus-tratos, mas provavelmente sim porque ele já chegou no hospital bem desnutrido e desidratado”.

A Polícia Civil também vai ouvir testemunhas a partir da próxima segunda-feira (12) e o inquérito deve ser concluído em 30 dias.

Por Marina Pereira, G1 Grande Minas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados